Publicado em: 11/03/2019 às 14:27
Chuvas de fevereiro superam média dos últimos 10 anos; em março já choveu 79% do esperado
Barragens responsáveis pelo abastecimento de água da cidade estão extravasando; Saema realiza vistoria diariamente e manutenção sempre que necessário
SecomCom registro de chuvas que já chegam a 79% do esperado, março já atingiu a marca de 103 milímetros

 

O Saema (Serviço de Água, Esgoto e Meio Ambiente do Município de Araras) registrou, por meio de pluviômetros (equipamentos utilizados para medir a quantidade de chuva) instalados em locais estratégicos da cidade, um total 103 milímetros de chuva nos primeiros dez dias do mês de março em 2019. Este número representa 79% do esperado, em relação à média de chuva dos últimos dez anos (129,24 milímetros) do mesmo mês. O ano de maior registro de chuvas em março foi no ano passado, chegando a 167,1 milímetros.

De acordo com registros da autarquia, em fevereiro deste ano, as chuvas já ultrapassaram a medida dos últimos dez anos, registrando 230,10 milímetros. O maior registro do mesmo mês foi 226,2, em 2009.

Em relação às barragens, a autarquia informa que estão extravasando. “Nossas barragens estão todas cheias e estamos realizando vistoria diariamente e manutenção sempre que necessário, desde 2017. Também estamos nos preparando para uma licitação para garantir a segurança nas mesmas. Ou seja, Araras hoje conta com um sistema de abastecimento de água de qualidade, feito por profissionais dedicados e que estão sempre preocupados com a excelência do serviço oferecido. Além disso, também estamos com o projeto de reforma da Estação de Tratamento de Água (ETA) em andamento”, comentou o diretor da ETA – Estação de Tratamento de Água, Wagner José Bergamin. 

Represas/Barragens

Segundo informações do Saema, para abastecimento da área urbana de Araras, o município conta com os seguintes reservatórios de água bruta: João Ometto Sobrinho (Água Boa), que abastece o reservatório Hermínio Ometto; Antônio Meneghetti (Tambury), que abastece o reservatório da Usina Santa Lúcia, além da captação de água superficial no Rio Mogi Guaçu. 

 

Secom/Prefeitura de Araras