Notícias / Saúde
Publicado em: 08/01/2019 às 10:20
“Janeiro Roxo”, Campanha de Combate a Hanseníase começa em Araras
Para alertar e informar a população, Secretaria de Saúde irá promover ações preventivas na cidade

 

Devido ao Dia Mundial de Luta contra a Hanseníase, comemorado anualmente no último domingo de janeiro (em 2019, dia 27). A Prefeitura de Araras, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, irá promover durante todo este mês o “Janeiro Roxo”, campanha de mobilização do Ministério da Saúde.

Segundo a Pasta, para alertar e informar os ararenses sobre a doença serão desenvolvidas pelas equipes das ESFs (Estratégia Saúde da Família), das UBSs (Unidade Básica de Saúde) e do próprio ambulatório de hanseníase, ações preventivas.

“Neste pacote de ações preventivas, a população irá obter informações gerais sobre a hanseníase, seus sintomas, locais de atendimento e futuros tratamentos”, explicou o secretário de Saúde, Romildo Benedito Borelli.

Para criar identidade à campanha, as Unidades de Saúde estarão adotando a cor roxa – enfeites com bexigas roxas, colocação de cartazes e panfletos sobre o tema -; funcionários também “vestirão a camisa”, com laços roxos nos uniformes.

“A campanha também será desenvolvida em igrejas católicas e evangélicas do município. Alguns prédios públicos estão iluminados com a cor da iniciativa”, completou Borelli.

O que é a Hanseníase?

A hanseníase, antes conhecida como lepra, é uma doença infecciosa transmitida pela bactéria Mycobacterium leprae ou bacilo de Hansen, tendo sido identificada no ano de 1873 pelo cientista Armauer Hansen.

A doença tem cura e o tratamento é gratuito em todo o Brasil, com duração média de 6 a 12 meses. A hanseníase atinge a pele e os nervos dos braços, mãos, pernas, pés, rosto, orelhas, olhos e nariz, podendo causar deformidades físicas que podem ser evitadas com diagnostico e tratamento precoces. A transmissão é por meio das vias respiratória: tosse ou espirro. Manifesta-se, geralmente, com aparecimento de uma ou mais manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou amarronzadas em qualquer parte do corpo; com diminuição ou perda de sensibilidade ao calor, à dor e ao teto, dificuldades para segurar objetos (sintomas iniciais).

Outros sinais da infestação, considerados tardios, são caroços e inchaços no corpo – em alguns casos avermelhados e doloridos -, engrossamento do nervo que passa no cotovelo, dor e “sensação de choque”, fisgadas e “agulhadas” ao longo  dos nervos dos braço, pernas e pés.

Mais informações sobre o “Janeiro Roxo” em Araras podem ser obtidas pelo telefone 3543-1522.

 

Secom/Prefeitura de Araras